A ELÉTRICA E O ASFALTO

A ELÉTRICA E O ASFALTO, O MOTIVO DE FALHAS BEM COMPLICADAS

A parte elétrica dos automóveis merece um cuidado especial, pois as panes sempre pegam todos de surpresa. Aliás, muitos destes inconvenientes surgem devido à má qualidade das nossas ruas e rodovias, repletas de buracos.

ILUMINAÇÃO – As lâmpadas são os principais itens deste sistema. Possuem um filamento de tungstênio, aquela “molinha” que pode ser vista através do bulbo. As vibrações causadas pelos buracos fazem com que elas se rompam.

Outra falha que é causada por buracos e afeta os princípios de funcionamento da eletricidade automotiva é a resistividade. Se o chicote não estiver com a manutenção em dia, pode haver afrouxamento das conexões em suas instalações. Uma delas é o terminal de aterramento, fundamental para o sistema.

INJEÇÃO – Como o circuito de gerenciamento da injeção eletrônica é ligado por fios, um conector mal fixado ou um chicote que não está preso pelas presilhas, por exemplo, pode se soltar e causar uma pane no veículo.

Ainda: a oxidação por umidade ou mau contato dos terminais pode ocasionar leitura errada dos sensores e um comando ineficiente nos atuadores do sistema; uma vez que todos os sinais emitidos são elétricos, quaisquer falhas em conexões do conjunto da injeção podem acarretar perda de aceleração, veículo não entra em funcionamento, leitura errada de parâmetros do mapa de injeção.

Uma dica é, a cada revisão, limpar as conexões com produtos “limpa-contatos”, verificar as vedações e medir a alimentação elétrica com tensão de bateria.

Como todos os circuitos elétricos são ligados por conectores, o ideal é fazer uma inspeção detalhada a cada revisão efetuada nos veículos dos clientes. Muita atenção às travas de segurança, responsáveis por deixar tudo bem conectado.

FREIOS – O sistema de freios ABS, obrigatório em todos os carros novos, é um dos componentes que podem apresentar falhas graves devido aos buracos, já que seu chicote elétrico é preso à carroceria em vários pontos ligados aos sensores das rodas. Com os trancos sofridos pela suspensão, muitas vezes as ligações dos sensores são rompidas ou aparece um mau contato. A luz no painel geralmente acende e os freios passam a funcionar no modo de emergência, perdendo a ação principal do sistema, que é evitar o bloqueio das rodas nas frenagens.